Eu não os julgo.

Jesus Amor.
Toda a vida de vocês é minha, meus filhos. Quando vieram a este mundo, eu tomei meu lugar em cada um de vocês. Eu conheço tudo em vocês, nada me escapa. Estou muito perto de seus corações! Eu os conheço melhor de que vocês mesmos se conhecem.

Eu seu quando seu coração está penalizado. No seu sofrimento, os faz fazer atos contra vocês mesmos. Vocês se amam um dia, no dia seguinte, não sabem mais quem são. Vocês se dizem: “Quem sou eu? Ontem eu me amava e hoje me detesto? Era bem eu que ontem me via sorrindo no espelho sendo que hoje meus olhos se desviam de olhar a mim mesmo?”

Sim, meus filhos, vocês que tem vergonha de ver-se, eu, Jesus, estou em vocês. Eu os conheço tão bem! Quando vocês se fazem mal, sei que seus olhares se afastam de vocês mesmos, para não ter que julgar-se. Eu, meus filhos, os vejo. Eu não os julgo. Os amo demasiado para isso. Eu quero ajudar-los a conhecer-se tal como vocês são realmente: uma ovelhinha ferida por ela mesma.

O mal se introduziu em vocês sem que se tenham dado conta. Ele os faz serem diferentes de que são na realidade. Este mal está em vocês como um intruso que viola seu interior. Ele é o ladrão de seu bem que é amor. Vocês que são amor, sabem o que sentem e sofrem por ser assim.

Este mal os destruí, meus filhos. Vocês não se amam, sentem aversão de vocês mesmos; não aceitam de ter sentimentos que estão em desacordo com seu interior, que é amor. Vocês, meus filhos, que tomam consciência que não são o que apresentam ao exterior, são infelizes.

Meus filhos, você não perdoam suas faltas. Eu, Jesus, os ajudo amando-os tal como vocês são. Meus filhos, vocês são tão frágeis. Eu me ocupo de vocês sem reprender-los, como um papai e uma mamãe que consolam a seu filho depois de cometer um erro; eles o amam tanto que têm medo que se ponha a gritar: “Não, eu não posso mais!”

Eu sou Jesus e os amo. Sou um Ser bom. Os amo. Quero estar em vocês como o estou em meu Pai. Quero encontrar-me dentro do amor de vocês. Meu Pai lhes deu seu amor que é meu amor. Meus filhos, quando rechaçam amar-se a vocês mesmos, é a mim que rechaçam. Eu sou vocês, meus filhos; vocês são eu. Eu os vou ajudar. Eu lhes vou dar o que falta: graças de amor. Venham a mim, meus bem-amados; eu tenho o que lhes falta. Tenho em mim tanto amor. Este amor está em vocês.

Meus queridos, os amo. Venham a meus braços, os dou um lugar. Meus braços estão ali para consolar-los. Sim, eu não posso reprovar-lhes de ser o que são. Vocês são infelizes. Cabe a mim consolar-lhes.

Meus filhos, eu os darei o que falta, para que estejam bem em vocês mesmos. A violência em vocês, meus filhos, os impede de reconhecer-se como filhos da doçura. Eu sou o Amor. Levo em mim a doçura. Eu sou o remédio contra a violência. Toda esta impaciência que sentem quando alguém ou alguma coisa não está de acordo com vocês, os destrói e os torna infelizes. Venham a mim. Eu tenho um bálsamo de paciência que suavizará seu caráter.

Vocês que não tem humor para tolerar, quando em vocês sobe a tensão e a cólera explode, peçam-me ajuda e eu os darei o perdão para vocês e também para aqueles que foram a causa de sua cólera. Meus filhos, tenho em mim uma farmácia para curar cada um de seus males. Eu estou amoroso de cada um de vocês. Eu os amo.

Sim, meus filhos, seu Jesus espera seu sim ao Amor. O Amor está aí, em vocês. Cabe a vocês sós, meus amados, de dizer-me: “Sim, vem, eu te espero.” Eu estou aí, já vou. Jesus está ali, meu pequeno tesouro. Em ti, eu vou. Cuida-te de deixar ver ao outro que tu mesmo. Eu te conheço e te amo tal como tu és. Eu estou em ti. Te amo.

Minha filha, tu minha doçura de minhas dores, entrega, entrega, entrega teu coração, abre, derrama. Teu coração é todo nosso. Te amo. Amém.

Fonte: Tradução livre da mensagem nº 110 de 20 de Maio de 2001, do Primeiro Volume do livro “Amor para todos los míos, Jesus”. Por ‘La hija del sí a Jesús’, editado (em francês) em Granby, Canadá por Les Éditions FJ, traduzido para o Espanhol por Sabino y Sulema Alas. Tradução para o Português por JNW.

Postado por JNW às 17:12 Links para esta postagem
Anúncios

0 Responses to “Eu não os julgo.”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: