Posts Tagged 'A Divina Vontade'

Por que ter medo de mim? Digam-me SIM.

Jesus Amor
Minha querida filha que amo, eu, Jesus Amor, te faço começar de novo tua escrita para que as palavras sejam claras para ti.

Tu estas escutando-me. Te amo e te quero completamente em mim. Minha filha, te amo. Tudo vem de mim, tudo estás em mim, Jesus, teu Deus Todo-poderoso. Te amo tanto. Escreve tudo o que é de mim. Eu sou bom, claro, não complicado. Sou simples e humilde de coração. Tu és minha, eu sou teu. Tudo é a Vontade Divina.

Os filhos que meu Pai do Céu me deu, os quero a todos em mim, como estou por completo nesta filha.

Meus filhos, eu respeito seu caráter, seus costumes de “demasiado” ou de “não suficiente”. Não exijo nada que não possam dar-me. Eu sou tão bom, tão puro! Por que ter medo de mim? Seu SIM é necessário para seu abandono em mim. Eu tenho as mãos atadas quando se SIM ao abandono não foi pronunciado. Seu atuar é o de vocês, não o meu, meus filhos.

Quantos entre vocês navegam sós, sem mim, seu Jesus Amor! Vocês vão por caminhos demasiados difíceis; encontram tantos perigos. Vejam por vocês mesmos quantas infelicidades há ao seu redor. A violência e os mortos os fazem estremecer. Vocês tem medo. Pela noite, vocês cerram com ferrolhos suas portas, têm medo dos ladrões que levam seus bens e sobre tudo que ataquem seus corpos.

Sim, meus filhos, vocês não estão seguros na terra. Sabem por que? Porque estão sós. Sabem meus filhos, que quando se está só, se corre o risco de encontrar-se em um impasse onde tudo está escuro, onde nada vai bem; se é infeliz sem o amparo do amor.

Meus filhos, seus pontos de apoio e seu amor são tão frágeis. Tudo pode vir abaixo no momento que vocês menos esperam. Eu, Jesus seu Salvador, seu Libertador, quero tomar-los em meus braços para fazer-los avançar em seu caminho, ele de vocês, não do outro. É comigo, Jesus Amor, que devem avançar.

Eu sou o caminho onde tudo é fácil, claro, sem armadilhas. Eu sou a Luz que esclarece seus passos. Sou a Verdade que os ajuda a não cometer demasiados erros. Meus filhos, mais seu SIM é sincero, puro e nobre, mais avançam na felicidade. Tudo se torna para vocês tão simples: não mais medo, não mais erros. Suas angústias, suas fobias, seus defeitos, já não existem; vocês amam! Sim, meus filhos, vocês se convertem o que eram desde a muito tempo: o amor.

É o pecado que lhes tirou o amor. O Amor não pode coabitar com o pecado, ele o combate. O pecado é falso, mentiroso, violento, egoísta, tão vão, tão perverso. Tudo nele é tão negro, tão frio, tão só; tudo nele é maldade. Eu os falo do Maligno. Ele toma a confiança em vocês sem que se deem conta, meus filhos. Ele ata seus corpos com cadeias que os fazem tão mal.

Quantos se reconhecem na enfermidade, no suicídio, na violência, na dominação do dinheiro, para cobrir sua falta de amor? Vocês estão dispostos a forçar seu próximo para que lhes dê esta felicidade que lhes falta em seu interior. O amor não se compra, meus filhos. Não pode ser forçado, nem maltratado. Ele é tão bom, tão doce!

Meus filhos, quando vocês sentem agredidos por outra pessoa, o Maligno aproveita e busca fazer-los reagir violentamente contra seu próximo. É ele que os faz reagir com cólera; vocês não podem controlar seu medo, sua pena, seu desespero.

O amor não é assim: ele é gratuito, livre, verdadeiro, doce; ele dá, ajuda, ele á tão bom. O Amor perdoa. Quando vocês dão seu SIM ao Amor, vocês se dão a oportunidade de serem felizes. É tão bom saber que vocês não estão sós, que têm um amigo: Jesus.

Sou eu, o Amor, que caminha com vocês, em vocês, em sua vida. Por meu poder, vocês estão seguros. Digam-me que me amam e que me entreguam sua preocupações, suas esperanças de amor. Eu os preencherei, lhes darei o que lhe falta, o amor. Este amor os trarás a felicidade em vocês mesmos e com seu próximo.

Meus filhos, eu estou em cada um de vocês. Eu estou em ti, em cada um de todos vocês. Quem queira que seja, eu os amo, meus filhos, pouco importa que sejas o pior do rebanho. Eu vim a terra pelo pior do rebanho, pelo mais infeliz. Eu estou em vocês. Não duvidem, meus filhos, que os amo. Jesus, o Rei do amor, os quer a todos comigo. Vocês são minha pessoas, melhor ainda meus amigos do Reino.

Venham, meus amigos, seu lugar está ali que os espera em mim, eu sou a Vida eterna. Nada morre em mim. Eu sou a Vida que jamais termina. Amem, eu os digo, quem morre em mim tem a vida eterna. Amém.

Fonte: Tradução livre da mensagem nº 116 de 23 de Maio de 2001, do Primeiro Volume do livro “Amor para todos los míos, Jesus”. Por ‘La hija del sí a Jesús’, editado (em francês) em Granby, Canadá por Les Éditions FJ, traduzido para o Espanhol por Sabino y Sulema Alas. Tradução para o Português por JNW.

Anúncios

Isto foi a maior das dores. É a Grande Perda.

Jesus para Luisa
“Minha Filha, na Criação uma foi a Vontade que saiu em campo para criar todas as coisas, e pelo direito só a esta correspondia o domínio, o regime e o desenvolvimento de sua mesma Vida em cada coisa e ser por Ela criada. Agora, o homem subtraindo-se de nossa Vontade, não foi mais uma vontade que reinava sobre a terra, senão duas, e como a humana era inferior a Divina, se esvaziou de todos os bens deste Fiat Supremo e fazendo a sua tirou o lugar da Vontade Divina, e isto foi a maior das dores, ainda mais que esta vontade humana havia saído e havia sido criada pela Vontade Divina para que fosse propriedade sua, domínio seu. Agora, o homem com o subtrair-se da nossa, se fez réu por roubar os direitos divinos, e fazendo sua vontade, nada mais permanecia das coisas criadas por este Fiat, assim que devia encontrar um lugar onde não se estendera nossa obra criadora, porem isto era impossível, este lugar não existe, e enquanto não estava com nossa Vontade, tomava as suas coisas para viver, se servia do sol, da água, dos frutos da terra, de tudo, e estes eram roubos que nos fazia. Assim que o homem não fazendo nossa Vontade se tornou ladrãozinho de todos os nossos bens.
Como foi doloroso ver que a Criação devia servir a tantos desertores, a tantos que não pertenciam ao Reino do Fiat Divino, e por quantas criaturas deviam vir a luz e não deviam viver em nosso Reino e fazer-se dominar por nossa Vontade, tantos lugares perdia sobre a terra. Sucedeu como em uma família que vez de que mande e domine o pai, mandam e dominam os filhos, os quais nem sequer estão de acordo entre eles, há quem manda uma coisa e quem outra; qual é a dor deste pobre pai a ver-se tirado o domínio sobre os filhos e ver a confusão e a desordem nesta família? Muito mais doloroso foi para meu Fiat Supremo que a obra de suas mesmas mãos criadoras lhe tirava o domínio, e fazendo sua vontade se pôs em contra da minha tirando-lhe o direito de reinar. Minha filha, o não fazer a minha Vontade é o mal que encerra a todos os males, é o desplume de todos os bens, é destruição da felicidade, da ordem, da paz, é a grande perda de meu Reino divino”.

Fonte: Libro de Cielo de Luisa Piccarreta. Parte do relato do dia 26 de Março de 1927. Tradução do Espanhol para o Português por JNW.

Quando surge na alma a veste de luz.

Jesus para Luisa
“Minha filha, assim como o sol, que quando surge faz fugir as trevas e faz surgir a luz, transforma a umidade da noite da qual as plantas foram investidas, de modo que ficavam oprimidas, adormecidas e melancólicas e quando surge o sol muda essa umidade em pérolas, embelezando tudo, plantas, flores e sobre toda a natureza seu alo prateado da de novo alegria, a beleza, tira o entorpecimento da noite e com seu encanto de luz parece que dá a mão a toda a natureza para vivifica-la, embeleza-la e dar-lhe vida. O mar, os rios, as fontes, dão temor durante a noite, porém quando surge o sol, os raios solares fazem fugir esse temor e investindo-los até o fundo forma neles um fundo de ouro e de prata, cristaliza as águas e delas forma o encanto mais belo; assim que toda a natureza ressurge por meio do sol, de que se não fosse pelo sol se poderia chamar obra sem vida. Mais que o sol é minha Vontade, quando surge na alma a veste de luz, todos os seus atos são embelezados com luz divina, de modo que converte em mais que fulgidíssimos brilhantes e em adornos preciosos, enquanto que antes que surgisse o sol de meu Querer eram como o orvalho noturno, que oprime as plantas e não lhes dá nem uma tinta de beleza, em troca ao surgir o sol aquele orvalho forma o mais belo ornamento a todas as plantas e dá a cada uma sua tinta de beleza e faz ressaltar a diversidade e vivacidade das cores. Assim, em quanto surge meu Querer, todos os atos humanos ficam investidos de luz, tomam seu lugar de honra em minha Vontade, cada um recebe sua especial tinta de beleza e a vivacidade das cores divinas, de modo que a alma fica transfigurada e coberta de uma beleza indescritível. Conforme surge o Sol de meu Querer põe em fuga todos os males da alma, tira o torpor que produziram as paixões, ou melhor ante a luz do Fiat Divino as mesmas paixões beijam aquela luz e ambicionam converter-se em virtudes para fazer uma homenagem a meu eterno Querer; em quanto Ele surge tudo é alegria, a as mesmas penas que, como mares na noite dão temor as pobres criaturas, se surge meu Querer põe em fuga a noite da vontade humana tirando todo temor forma seu fundo de louro naquelas penas e com sua luz investe as águas amargas das penas e as cristaliza em mares de doçura, de modo a formar um horizonte encantador e admirável. Que não pode fazer meu Querer? Tudo pode fazer e tudo pode dar, e onde surge faz coisas dignas de nossas mãos criadoras”.

Fonte: Libro de Cielo de Luisa Piccarreta. Parte do relato do dia 22 de março de 1927. Tradução do Espanhol para o Português por JNW.

Levará no fundo de sua alma o depósito do bem.

Jesus para Luisa
“Minha filha, quem teve uma missão e apenas a iniciou, o bem não se desenvolveu de todo, e se a levo ao Céu, continuará desde lá em cima sua missão, porque levará no fundo de sua alma o depósito do bem, dos conhecimentos que adquiriu em vida e no Céu os compreenderá com mais claridade, e compreendendo o grande bem destes conhecimentos do Fiat Supremo, rogará ele e fará rogar para todo o Céu para que se conheçam na terra, e conseguirá luz mais clara a quem deverá encarregar-se. Muito mais que cada conhecimento sobre minha Vontade lhe dará uma glória a mais, uma felicidade maior, e a medida que se conheçam na terra será duplicado na glória e na felicidade, porque será cumprimento de sua missão que tinha em vontade fazer, e é justo que na medida que se desenvolva na terra receba o fruto de sua missão, por isso lhe dizia que o fizera logo, o urgia tanto a que não perdesse tempo, porque Eu queria que não só tivera início de sua missão, senão que se adentrara em grande parte na publicação dos conhecimentos do eterno Fiat, a fim de que não fizera tudo a partir do Céu. Em troca, quem cumpre sua missão na terra pode dizer: “Minha missão terminou”. Porém quem não há cumpriu a deve continuar no Céu. Para ti, tua missão é larguíssima, não poderás cumprir-la na terra, basta no entanto que todos os conhecimentos não sejam conhecidos e o Reino de minha Vontade não seja estabelecido sobre a terra, para tua missão jamais possa dizer-se terminada, no Céu terás muito que fazer, minha Vontade que a teve na terra ocupada para seu Reino, não te deixará sem trabalhar junto com Ela no Céu, te terá sempre em sua companhia. Assim que não farás outra coisa que descer e subir do Céu a terra para ajudar a estabelecer com decoro, honra e glória meu Reino. Isto te será de grande complacência, felicidade e sua glória, ao ver tua pequenez, que unida com meu Querer terá transportado o Céu para terra e a terra ao Céu, contentamento maior não poderias receber, muito mais porque verás a glória de teu Criador completada por parte das criaturas, a ordem reestabelecida, toda a Criação com seu pleno esplendor, ao homem, nosso querida jóia em seu lugar de honra. Qual não será nosso e teu sumo contentamento, a suma glória e a felicidade sem fim ao ver a finalidade da Criação realizada? Ademais, a ti daremos o nome de redentora de nossa Vontade, constituindo-te mão de todos os filhos do nosso Fiat. Não ficas contente?”

Fonte: Libro de Cielo de Luisa Piccarreta. Parte do relato de 19 de Março de 1927. Tradução do Espanhol para p Português por JNW.

Postado por JNW às 19:05

Reino do meu Querer.

Jesus para Luisa
“Minha filha, quando teu Jesus foi concebido, reativei de novo o Reino de minha Vontade Divina com as criaturas. Era necessário que Ela tomara domínio absoluto em minha Humanidade e tivesse sua Vida livre em todos meus atos, para poder estender seu Reino como queria em minha Humanidade. Assim tudo que Eu fazia: Obras, orações, respiração, batidas do coração e sofrimentos, eram vínculos, retomada do Reino de meu Fiat com as criaturas. Eu representava o novo Adão, que não só devia dar os remédios para salvar-los, senão devia reaver, restituir o que o velho Adão perdeu; por isso me foi necessário tomar a natureza humana para poder encerrar nela o que a criatura havia perdido, e por meu intermédio dar-lo de novo. Era de justiça que minha Vontade Divina tivera uma natureza humana a sua disposição e que nada se opusera, para poder de novo estender seu Reino em meio das criaturas, muito mais que uma natureza humana lhe havia quitado seus direitos de reinar, por isso se necessitava outra que lhe restituis-se seus direitos. Por tanto minha vinda a terra não foi pela Redenção só, mais bem, a primeira finalidade foi formar o Reino de minha Vontade em minha Humanidade, para dar-lo novamente as criaturas; se isto não fosse assim, minha vinda sobre a terra seria uma obra incompleta, não digna de um Deus, que nada menos não haveria podido restabelecer a obra da Criação, a ordem como saiu de nossas mãos criadoras, que em tudo devia reinar nossa Vontade. Agora, para que estes reativamento que formou minha Humanidade de meu Reino com as criaturas, pudessem ter validez, vida e ser conhecidos, era necessário que elegesse uma criatura, que dando-lhe por ofício especial que fizesse conhecer este Reino de meu Querer, vinculara com ela todos estes reativamentos que havia formado minha Vontade com minha Humanidade, dando-lhe capacidade de transmitir estes reativamentos de meu Reino a as outras criaturas. Por isso estou no fundo de tua alma mantendo a Vida do Fiat Supremo, para vincular estes reativamentos e estender nela seu Reino, e te falo tanto dEle como a nenhum outro até agora lhe falei, portanto seja atenta, que se trata da coisa maior, qual estabelecer a ordem da Criação entre o Criador e a criatura.
Não só isto, senão que era necessário que escolhera primeiro uma criatura que vivesse no Fiat Divino para receber dela atos universais, porque minha Vontade é universal, se encontra por todas as partes, não há criatura que não recebe sua Vida. Agora, o homem com subtrair-se de minha Vontade rechaçou um bem universal, tirou a Deus a glória, a adoração, o amor universal, assim que para dar novamente este Reino, estes bens universais, quer por direito que primeiro uma criatura vivendo neste Fiat, se o comunique este ato universal, e conforme ama, adora, glorifica, reza, se constitui junto com seu mesmo Querer amor universal por todos, adoração e glória por cada criatura, e difundindo sua oração como se cada um reza, roga em modo universal que venha o Reino do Fiat Divino em meio as criaturas. Quando um bem é universal se necessitam atos universais para obter-los, e só em minha Vontade há estes atos. Conforme tu amas nEla, teu amor se estende onde queira que ela se encontra, e minha Vontade sente teu amor em todas as partes, se sente seguir por toda a parte, portanto sente em ti o primeiro amor como havia estabelecida que a criatura a amara no princípio da Criação, sente sua cópia em teu amor que não sabe amar com amor pequeno e finito, senão com amor infinito e universal, sente o primeiro amor de Adão antes de pecar, que não fazia outra coisa que repetir a cópia fiel da Vontade de seu criador, e se sente como atraída por estes atos universais que a seguem por todas as partes para vir a reinar de novo em meio as criaturas; por isso escolhi minha filha, e em meio de sua estirpe, não só para manifestar-te os conhecimentos, os bens, os prodígios deste Fiat, senão para fazer que tu, vivendo nEle, com teus atos universais inclinasses a minha Vontade para vir a reinar novamente como no princípio da Criação em meio das criaturas. Por isso a ti é dado unir a todos, abraçar a todos, afim de que encontrando a todos e tudo em ti, como tudo se encontra em minha Vontade, farás que se ponham de acordo, se darão um beijo da paz e meu Reino será estabelecido em meio as criaturas. Eis aqui o porque a necessidade dos conhecimentos, das maravilhas de meu Fiat Divino, para dispor a as criaturas, para animar-las a desejar, a querer, a suspirar este Reino e os bens que há nEle; e a necessidade de eleger primeiro a uma criatura que vivendo nEle, com seus atos universais que lhe subministra meu Querer, que são atos divinos, consiga o Reino de meu Fiat para as criaturas. Eu faço como um rei cujo povo foi rebelde as suas leis, o rei usando de seu poder, a quem coloca na prisão, a quem manda para o exílio, a quem tira o direito de possuir, em suma, a todos do castigo que justamente merecem. Agora com o passar do tempo o rei tem compaixão de seu povo, escolhe a um de seus ministros mais fiéis e abrindo seu coração dolorido diz: ‘Quero fiar-me em ti, escuta, decidi dar-te o mandato de que me chames os pobres exilados, que libertes os prisioneiros, que restituas o direito de possuir os bens que lhes tirei, e se me são fiéis lhes duplicarei seus bens, sua felicidade’ Trata largamente com este ministro de sua confiança, planejando tudo o que se deve fazer, ainda mais que este ministro estava sempre junto ao rei, rogando por seu povo, que desse a todos graça do perdão e da reconciliação. Então depois de haver planejado juntos em segredo, chamam os demais ministros dando ordem de que façam chegar a boa notícia me meio de todo o povo, nas prisões, no exílio, de como o rei quer fazer a paz com eles, que quer que cada um regresse a seu lugar e todos os bens que o rei os quer dar; e quando se espalham estas belas notícias, desejam, suspiram, se dispõe com seus atos a receber a sua liberdade e o Reino perdido por eles; agora, enquanto se difundem as notícias, o fiel ministro está sempre junto ao rei, incitando com rogos incessantes para que o povo receba o bem estabelecido entre eles. Precisamente isto é o que Eu fiz, porque o que se pode fazer entre dois, o tu por tu, no segredo da dor de amor de dois seres que se amam e que querem ao mesmo bem, não se pode fazer entre muitos. Um dor secreta e amor de teu Jesus, unidos com a alma que elejo, tem tal poder: Eu de dar e ela de impetar o que se quer; o segredo entre tu e Eu madurou os tantos conhecimentos que te dei do Reino de meu Fiat Divino, fez ressurgir teus tantos atos nEle; o segredo entre tu e Eu me fez desafogar minha dor tão grande e de tantos séculos nos quais minha Vontade, embora estivesse no meio das criaturas, era vida de cada ato delas, não a conheciam, a tem em estado de agonia contínua. Minha filha, uma dor minha desafogada no segredo do coração de quem ama, tem a virtude de mudar a justiça em misericórdia e minhas amarguras se transformam em doçuras. Então, depois que me fiei em ti, planejando juntos tudo, chamei os meus ministros dando-lhes ordem de fazer conhecer ao povo as belas notícias sobre meu Fiat Supremo, seus tantos conhecimentos, e como chamo a todos que venham a meu Reino, que saiam do cárcere, do exílio de sua vontade, que tomem possessão dos bens perdidos, que não vivam mais infelizes e escravos da vontade humana, senão felizes e livres em minha Vontade Divina. E como este segredo teve a virtude de dizermos coração a coração as tantas manifestações maravilhosas do eterno Fiat, saindo fora este nosso grande segredo, fará tanto caminho no povo, que surpreendidos rogarão com suspiros que venha meu Reino que porá término a todos seus males”.

Fonte: Libro de Cielo de Luisa Piccarreta. Parte do relato de 16 de Março de 1927. Tradução de Espanhol para o Português por JNW.